Senhor, a quem iremos nós?


Descer do céu (encarnação) e dar Sua carne como alimento (Eucaristia), ainda que seja explicitada na sua diferença qualitativa ("não é como o que vossos pais comeram no deserto") não exime de incompreensão nem mesmo os discípulos. Quem começa pelo escândalo progride em direção à incredulidade e conclui com um abandono. Em um processo espiritual, quem sabe acolher livremente Jesus em Sua integridade tem consciência de que Ele é único e percorre o discipulado da Palavra de Jesus à Sua identidade: "Tu tens Palavras de Vida Eterna".

Ratifiquemos a certeza de que Jesus nos atrai a si e que sem o Espírito nós permanecemos na fragilidade de nossa carne. Invoquemos o Pai, a fim de que Ele nos revele o Seu Filho e não permaneçamos à mercê de nossa pobreza espiritual.
Padre Roberto Mario Barbosa, Mipk.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário