O valor humano aos olhos de Deus




Num período de conversão como o de quaresma, ficamos pensando em como mudar e de que forma manter essa mudança ao longo do ano e perseverar nela...

Na minha fraqueza, tenho medo de errar demais e decepcionar a Deus.
Na minha covardia, sei que não há forças para trilhar esse caminho.
No meu medo mora a fórmula que menos desejo: o obstáculo para avançar e chegar aos meus objetivos que é viver a vontade e o sonho do Pai.

Mas em Deus... Sim, em Deus... Encontro a misericórdia de um Pai divino que, não importa quantas vezes eu o magoe, sempre vai estar lá me esperando, consolando e levantando.
Quando não acreditei mais em mim Ele me mostrou que minha essência está Nele e que, portanto, é impossível não ter fé na vida ou no meu crescimento como pessoa, como alma.
Quando quis desistir dos meus dons e de servir aos homens por meio da oferta aos Céus, Cristo me abriu a mente para quantas almas Ele deseja salvar ao me usar como seu instrumento... Minha alma seria eternamente agradecida por participar desse processo de salvação que levaria a eternidade com a Santíssima Trindade e Nossa Senhora...

E, se alguma vez, apenas uma, eu olhei pra mim sem dar valor à caminhada que fiz até agora e disse que não era digna de ser Filha de Deus, Jesus apontou para a Cruz, para o seu sangue derramado, para o presente da minha consagração à Imaculada e em voz forte declarou: “Te pergunto: foi em vão a minha oferta total a Ti? O sacrifício de um Deus?! NÃO!!! Nem todos os pecados mais graves, fraquezas, infidelidades e blasfêmias seriam capazes de tornar indigno de Mim aquilo que, pelo preço do meu sangue, tornei sagrado. EU TE AMO, FILHO CONSAGRADO... 

Silvia Cunha
Jornalista e Jovens MI
São Bernardo do Campo/SP
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário